A constituição equivocada

Vivemos em um mundo digital
Vivemos em um mundo digital

Organizada em volta da ideia da “posse do poder”, ou do famoso “vocês vão ter de me engolir”, o presidencialismo brasileiro orbita conceitos obsoletos, castigo medieval e imobilismo da era analógica. A democracia em vigor no Brasil está em rota de colisão com as exigências de velocidade e flexibilidade do mundo contemporâneo.

Baseada na Constituição de 1988, uma Constituição equivocada desde o princípio, regulamentatória, engessada, complicada e redigida em completo descompasso com o bom senso, preocupou-se mais em circunscrever e usurpar direitos do cidadão comum para proteger privilégios e descuidou de atender as demandas da sociedade de modo racional e sustentável. Aleijona por seu desarranjo intrínseco, vem se mostrando mais como parte do problema do que parte da solução.

As novas gerações digitais são desapegadas do formalismo analógico. Um formalismo feito de rituais que serviam para dar ordem a um mundo de raciocínio compartimentado, que funcionava em “batch”, por lotes e eventos. Um tipo de mundo que hoje está obsoleto pela nova ordem digital baseada em fluxos contínuos on line, com feed bach instantâneo. Do ponto de vista das novas gerações, o atual regime poderia ser composto por Cro-Magnons e Neanderthals que não faria diferença. A velocidade do mundo atual opera por sistemas que não conhecem distâncias, são multiconetctados e integrados, tem multifuncionalidades e compartilhamento online. Tudo rodando em tempo real.

É com razão que as novas gerações vêm o mundo de modo inteiramente diferente daquele de seus pais e avô. Não admira, posto que o planeta é o mesmo, mas o mundo é outro.

Daí que a saída é uma profunda reforma do Estado Brasileiro. Uma reforma digital disruptiva, que repense toda a arquitetura institucional em que se assenta o Estado. Uma reforma alinhada com o Século XXI. Em sintonia com as novas tecnologias e com abertura para um novo papel institucional do cidadão.

O Brasil precisa de um Choque Digital. E precisa Já!

Ceska – O blogueiro digital


 

 

Comments

comments

Deixe uma resposta